siga-nos!
Youtubeadicionar aos favoritosRSSPartilhar

Arrábida

Projectos arrabida 1 710 2500
A Arrábida é um sítio natural de valor excecional e ímpar pela sua beleza, mas também enquanto importante testemunho de processos geológicos ilustrativos da história da vida na Terra e lugar de uma riqueza florística assinalável e única. A Arrábida é uma paisagem singular, rica em património geológico, ecológico e cultural. Lugar com nítida individualidade geográfica, lugar de beleza estética inconfundível, lugar em que natureza e cultura se entrelaçam; lugar de contrastes, de mar e terra, de céu e serra, de obras conjugadas do Homem e da Natureza. A Arrábida revela-se, assim, uma unidade orgânica, interdependente, em que património natural e cultural, material e imaterial, se encontram indissoluvelmente ligados, uma identidade geográfica única e excecional que se pretende preservar, valorizar e promover.

Perante um património desta relevância e singularidade, a Região de Setúbal, nos diferentes momentos em que é chamada a refletir e decidir sobre a estratégia mais adequada para o seu futuro, tem sempre considerado a Arrábida como um elemento potenciador de um desenvolvimento harmonioso entre a natureza e as comunidades humanas.

Esta visão da Arrábida enquanto importante património regional conduziu a que a AMRS – Associação de Municípios da Região de Setúbal, visando dar resposta à estratégia de desenvolvimento consubstanciada no PEDEPES – Plano Estratégico para o Desenvolvimento da Península de Setúbal, assumisse a responsabilidade de iniciar um conjunto de ações tendentes ao aprofundamento do conhecimento sobre o território e os valores patrimoniais em presença, desencadeando os procedimentos necessários à sua candidatura a Património Mundial, em parceria com o ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e da Floresta e os Municípios de Palmela, Sesimbra e Setúbal.

O trabalho realizado, as entidades e personalidades envolvidas, o consenso nacional obtido em torno do objetivo de valorização da Arrábida, fazem com que o insucesso desta primeira tentativa de reconhecimento internacional da Arrábida não ponha termo ao desígnio fundamental de proteger e promover este território e o seu património único e excecional.

Nesse sentido, a AMRS, em conjunto com os demais parceiros, continua a apostar na Arrábida, na necessidade de garantir o reconhecimento da excecionalidade dos seus valores patrimoniais, no desenvolvimento harmonioso deste território na sua relação com quem nele vive e com quem o visita, promovendo a proteção do património, o seu estudo e valorização.