siga-nos!
Youtubeadicionar aos favoritosRSSPartilhar

AMRS visita a Reserva da Biosfera do Paul do Boquilobo

1 1 710 2500
2016/03/15
A AMRS visitou no passado dia 1 de março a Reserva da Biosfera do Paul do Boquilobo, juntamente com membros da Comissão Técnica da Arrábida, no âmbito do desenvolvimento do processo da Candidatura da Arrábida a Reserva da Biosfera e com o objetivo de observar e partilhar a experiência e práticas de trabalho atendendo aos 35 anos de existência desta Reserva.

Visitar outros territórios e experiências constitui-se uma oportunidade para aprofundar conhecimentos sobre as Reservas da Biosfera, suas atividades e planos de gestão. Neste sentido, também os técnicos que acompanham a candidatura de Castro Verde a Reserva da Biosfera estiveram presentes.
A Reserva da Biosfera do Paul do Boquilobo, foi a da primeira reserva a ser constituída, das oito criadas em Portugal, no âmbito do programa O Homem e a Biosfera (MaB), da UNESCO.

imagem
Situado entre os rios Almonda e Tejo, nas imediações dos concelhos da Golegã e de Torres Novas, o Paul do Boquilobo é uma zona húmida com elevada biodiversidade, com destaque para uma importante colónia de garças da Península Ibérica, constituindo o outro habitat potencial de expansão ou recurso para aquela colónia. Da reserva, faz ainda parte, uma zona permanentemente alagada na margem direita do rio com grande densidade de vegetação aquática, constituindo um importantíssimo local de nidificação e observação de várias espécies de fauna e flora.

A equipa da Arrábida foi recebida pelo Presidente da Câmara Municipal de Golegã, Rui Lince Duarte e outros membros do Conselho Executivo da Reserva da Biosfera do Paul do Boquilobo, que tem, desde 2014, um modelo de gestão inovador baseado num Conselho Executivo onde participam o Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade (ICNF), a Câmara Municipal de Golegã, a Câmara Municipal de Torres Novas e a ONGATEJO - Organização Não Governamental do Ambiente, que preside. Existe ainda, uma Comissão de Acompanhamento, que trabalha diretamente com todos os atores e agentes económicos locais mais relevantes do território, contando atualmente, com 52 entidades diferentes.

O presidente do órgão de gestão da Reserva da Biosfera do Paul do Boquilobo – Eng.º Mário Antunes, da ONGATEJO, informou que a mesma concluiu no ano passado o processo para manter um “galardão de qualidade”, que atesta a adaptação às novas exigências do programa MaB, bem diferentes das que vigoravam em 1981, quando a reserva foi distinguida.

imagem

A área abrangida, passou dos 550 hectares da reserva natural para os 5.900 hectares, ampliando a zona da conservação (nuclear, destinada à preservação da paisagem, ecossistemas e espécies), de tampão e de transição, nas quais podem ser cumpridas as funções de desenvolvimento sustentável, de plataforma de investigação, monitorização, educação e sensibilização ambiental. A Reserva passou de uma única atividade para oito, no âmbito do turismo, agricultura, pesca, e aumentou igualmente, uma área que inicialmente não tinha residentes, para uma atual população de 8.400 habitantes. Também, no que localmente diz respeito, passa a abranger cinco freguesias e dois concelhos. Este processo culmina no reconhecimento das potencialidades, tradições e património dos concelhos de Golegã e Torres Novas que permite divulgar este território nacionalmente e internacionalmente.

O Facebook e a Newsletter são as principais plataformas de divulgação de todas as atividades e iniciativas, nas suas várias vertentes, estando a trabalhar em redes de cooperação e a identificar oportunidades de investimento e de candidaturas a fundos comunitários.
Nesta visita tivemos o privilégio de visitar a Quinta da Broa – berço da Coudelaria Veiga com os seus célebres Cavalos puro-sangue lusitano, o Pombalinho, a Azinhaga – terra natal do escritor José Saramago e a Golegã – Capital Portuguesa do Cavalo.

A ONGATEJO, em representação da Reserva da Biosfera do Paul do Boquilobo, mostrou-se totalmente disponível para apoiar e colaborar no processo de elaboração da Candidatura da Arrábida a Reserva Mundial da Biosfera.
Estes ciclos de encontros têm constituído uma oportunidade para o aprofundamento de sinergias, através de outras realidades e têm contribuído para a definição de ações integradas, que promovem o sucesso de processo de candidatura da Arrábida a Reserva da Biosfera, e da valorização e promoção da Arrábida.